domingo, 29 de dezembro de 2013

Desculpas






 Desculpe-me por eu não conseguir expressar meus sentimentos

a todos àqueles por quem tenho apreço.

Desculpe-me por eu só conseguir falar destes sentimentos

em determinados momentos, quando o coração fala mais alto,

quando não dá para continuar guardando-os no peito.

Mas desculpe-me ainda mais por, na maioria das vezes,

não conseguir dizer em voz alta; é que às vezes a fala  me falta,

fico sem jeito, sem saber como dizer.

É apenas porque me expresso melhor quando ponho no papel,

quando vejo que está tudo ali, do jeito que eu gostaria

e que se de outra forma fosse feito, não sairia como haveria de ser.

Talvez seja melhor assim porque pelo menos tudo isso poderá ser guardado

para ler, reler quando puder (ou quiser).

Desculpe-me por eu não parecer uma amiga, ou pessoa muito atenciosa,

isso não quer dizer que não te noto, que não me importo, ou que de você não gosto.

Apenas prefiro demonstrar o que sinto num dado momento.

Desculpe-me por esse meu modo de ser, meio desajeitado, meio atrapalhado, meio relapso.

Isso não quer dizer que eu não saiba cultivar amizades;

Talvez seja porque amigos antes tenham me faltado.

E agora, com tanta gente querida, eu não tenha notado

que não as tenho dado a devida atenção.

Desculpe-me novamente, por não ser tão coerente,

e proclamar, quando deveria, aquilo que guardo aqui no coração.



Marcilane Santos, 28/12/2013


 
https://encrypted-tbn3.gstatic.com/

domingo, 8 de dezembro de 2013

PARE


 
http://3.bp.blogspot.com/-rT-rjDRco94/TcCXNQyTt6I/AAAAAAAAABE/S2r_I8i1F6w/s1600/pense.jpg



Se o seu coração por um momento se entristecer demais, não se desespere,

Pare.

Pare e veja a beleza que é viver;

Apesar dos pesares, pare.

Olhe ao seu redor, sinta, observe.

Será que vale à pena cultivar a dor?

Pare. Repare que para tudo tem uma solução,

Para tudo você pode dizer sim ou não.

Sim, Deixe entrar eu seu coração tudo o que há de melhor.

Não. Não deixe que as tempestades da vida o derrube.

Pare. Renove-se, se necessário, mude a direção da caminhada, olhe além do horizonte.

Tenho certeza que em algum lugar alguém estará sempre de braços abertos para te abraçar.

Que em algum lugar algo muito melhor estará à sua espera.

E que apesar de quaisquer circunstâncias, você com certeza vencerá.

Marcilane 11/09/13.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

ECO



ECOA 
ECOA A VOZ 
A VOZ NO MURO 
A VOZ NO MURO ESPALHA-SE 

ESPALHA-SE A ALMA  
ESPALHA-SE A ALMA E FECHA-SE O OLHAR 
ESPALHA-SE A ALMA E FECHA-SE O OLHAR AO SENTIR 
                                                                                                      AO SENTIR LIVRAR-SE DAQUILO 
                                                                                                     AO SENTIR LIVRAR-SE DAQUILO QUE ESTAVA PRESO 
                                                                                                                                                 DAQUILO QUE ESTAVA PRESO NO PEITO 
                                                                                                                                                                                                  E QUE DO
PEITO QUERIA SAIR  

ECOA 
ECOA E SOA 
ECOA E SOA O VERSO
ECOA E SOA O VERSO NO ECO
       NO VERSO ECOA O SOPRO DAQUELA ALMA 
                                                                                              A ALMA 
                                                                                              A ALMA SOA 

O VERSO 
O VERSO ECOA 
                                                                                                 SOA A ALMA 
                  

                   ECOA O VERSO. 




MARCILANE SANTOS EM 26/09/13. 

 
Marcilane Santos.




domingo, 4 de agosto de 2013

O dom da infância








https://multiplasingularidade.files.wordpress.com

Ah, como é bela a infância! 

Os infinitos dias de brincadeiras,
a vida simples e doce, 
a felicidade em sentir a brisa tocar o rosto de leve   
ao brincar no balanço da praça.   

As artes e aventuras na areia, 
a satisfação em pisar na grama e nas folhas secas,  
a simplicidade no olhar e no agir,  
o não se importar com o mundo "lá fora",  
a curiosidade em ouvir novas histórias.   

Como é bela a infância.   
Como é belo o olhar de uma criança.  
Uma criança que mesmo sem te conhecer, te olha e sorri. 
E que mesmo na inocência, por excelência já possui o admirável dom de cativar.   


Marcilane Santos, 14/06/13.

sábado, 13 de julho de 2013

O laço





E quando o laço se fez não se preocupou se para sempre duraria
Aquele momento era único e era a única coisa que realmente importava
Naquele enlace podia-se ver que nada de mais belo superaria
Nada superaria aquele momento lindo que por tanto tempo se esperava

Uma. Somente uma palavra era capaz de traduzir aquele sentimento
Um sentimento puro que em poucos se encontrava
O laço se fez tão intensamente que havia destruído todo sofrimento
E naqueles corações, apenas lugar para uma nobre sensação, restava.

Marcilane Santos.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...